FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
Pedro Xavier 28 Abr 2021

Alto Minho investe 2 milhões de euros em 10 rotas culturais que percorrem património da região

A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho investiu cerca de dois milhões de euros, cofinanciado pelo Norte 2020, na criação de 10 rotas culturais pelo património dos concelhos do distrito de Viana do Castelo.

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Em causa está o projeto “Alto Minho 4D – Viagem no Tempo”, apresentado publicamente, e que se constituiu como “uma proposta de exploração das rotas a partir das designadas Estações ou Porta do Tempo em cada um dos 10 concelhos do Alto Minho”.

A iniciativa incluiu ainda 10 documentários produzidos pela Associação AO NORTE, que vão ser exibidos nos próximos dias 03, 05 e 07 de maio, às 21:00, no teatro municipal Sá de Miranda, em Viana do Castelo.

As dez rotas culturais, disponíveis para visitação a partir do mês de maio, sendo que “cada uma está associada a diferentes períodos da história, desde a pré-história até à atualidade, nas quais se incluem alguns dos mais notáveis bens patrimoniais da região”.

São exemplos as rotas da Arte Rupestre e do Megalitismo, dos Castros, do Romano, a do Românico ao Gótico, dos Mosteiros, dos Descobrimentos, dos Castelos e Fortalezas, do Barroco, da Arquitetura Tradicional e a do Moderno ao Contemporâneo.

Como ponto de partida para a visitação de uma rota, foi criado “um espaço físico em cada concelho do Alto Minho, com a designação de Estação ou Porta do Tempo, que se constitui como um centro de recursos partilhados sobre uma determinada rota”.

Essa Estação ou Porta do Tempo “apresenta um conjunto de atrações e experiências interativas que dão o mote para uma viagem que pode ser feita de duas formas por temática, percorrendo-se o seu itinerário pelos concelhos que a compõem, ou por concelho, descobrindo as diferentes rotas que o incluem”.

Na conferência de imprensa, realizada no edifício do Hospital Velho, em Viana do Castelo, que acolhe entre outras valências, a Estação do Tempo dos Descobrimentos, o presidente da CIM Alto Minho, José Maria Costa, salientou “a importância do projeto por pretender valorizar um conjunto de rotas em que o Alto Minho tem grande expressão”.

“Sendo o Alto Minho uma das regiões do Norte de Portugal com maior número de imóveis classificados, houve uma preocupação em preservar, valorizar e divulgar todo este património”, referiu José Maria Costa, citado numa nota enviada à imprensa pela CIM Alto Minho.

O responsável, que é também presidente da Câmara de Viana do Castelo acrescentou que “o Alto Minho tem monumentos de grande representatividade histórica, que poderão ser agora visitados em contexto de rotas e até mesmo ser explorados ao nível da visitação pelas escolas e agentes turísticos”.

A Estação do Tempo dos Castros, localizada na Casamata da Porta do Rosal, em Monção, será inaugurada no próximo sábado, dia 01 de maio, e a Estação do Tempo dos Romanos, na Casa do Arnado, em Ponte de Lima, no dia 18.

Arcos de Valdevez e Viana do Castelo também têm já as suas estações do tempo concluídas, sendo que a de Arcos de Valdevez, situada na Igreja do Espírito Santo e dedicada ao Barroco, está já aberta ao público.

Nos restantes municípios, as estações do tempo ficarão concluídas progressivamente até finais de julho, no sentido de, apesar do atual contexto pandémico, se tornarem, em conjunto, um atrativo regional para o período do verão.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts