FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
Pedro Xavier 21 Jan 2021

Estrutura de retaguarda de Viana do Castelo tem 25 doentes e fica aberta até março

A Estrutura de Apoio de Retaguarda (EAR) instalada no centro cultural de Viana do Castelo, que atualmente acolhe 25 doentes covid-19, vai continuar em funcionamento até final de março, revelou o presidente da Câmara.

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

José Maria Costa, que falava ao executivo municipal no início da reunião camarária de hoje, realizada através de videoconferência, pela primeira vez com a participação da imprensa, explicou que aquela decisão resulta da “atual situação pandémica” que afeta o distrito de Viana do Castelo.

“Fruto dos contactos que temos mantido, quer através da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho com a Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte, quer com a Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) decidimos alargar o período de cedência do centro cultural para EAR até 31 de março”, especificou.

“É opinião do presidente do conselho de administração da ULSAM que seria mais prudente mantermos esta situação até à primavera. Atualmente há 25 doentes internados naquele espaço”, especificou.

A EAR começou a funcionar no final de novembro e recebeu os primeiros doentes em dezembro.

Na sessão de abertura da estrutura, em declarações aos jornalistas, o presidente da comissão distrital da proteção civil de Viana do Castelo Miguel Alves, disse que a EAR tem 30 camas preparadas, mas pode crescer até às 120 camas.

“No limite, se tivéssemos uma situação de absoluta rutura, catástrofe, que não prevemos, o espaço está preparado para acomodar 200 pessoas”, sustentou, na altura, o autarca socialista.

A estrutura foi instalada em abril pela Câmara de Viana do Castelo.

Inicialmente esteve prevista a sua desativação no final de outubro, mas, entretanto, a Câmara de Viana do Castelo e a Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) decidiram prolongar o seu funcionamento devido ao aumento de casos de covid-19 na região.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts