FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
Pedro Xavier 06 Jan 2021

CIM do Alto Minho sem secretário executivo após saída para a CCDR-N

A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho ainda não nomeou o novo primeiro secretário executivo após a saída de Júlio Pereira para a Comissão de Coordenação da Região Norte (CCDR-N), disse o vice-presidente da associação de municípios.

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Em declarações à agência Lusa, Victor Mendes adiantou “estarem a ser desenvolvidos contactos para encontrar o sucessor do engenheiro civil, de 52 anos, que desempenhou, durante quase uma década, um dos cargos mais importantes” daquela estrutura que agrega os dez concelhos do distrito de Viana do Castelo.

“Ainda não está encontrado um novo nome. O presidente da CIM do Alto Minho, José Maria Costa, tem todo o nosso apoio para encontrar uma solução que nos seja apresentada para que possamos decidir o mais rapidamente possível. É importante que essa decisão seja célere”, referiu.

Victor Mendes, que é também presidente da Câmara de Ponte de Lima (CDS), defendeu que “deve ser uma personalidade com o perfil adequado ao período tão delicado que o país e a região enfrentam”.

“Estamos a fechar um quadro comunitário de apoio e rapidamente a avançar para o Portugal 2030. Também tempos o Programa de Recuperação e Resiliência que é importante aproveitar ao máximo”, observou.

“É um momento delicado, que exige um esforço enorme dos presidentes de Câmara e de todos os colaboradores da CIM do Alto Minho e, por isso, precisamos de um secretário executivo que dê resposta a esses enormes desafios que temos pela frente”, reforçou.

Júlio Pereira assumiu, na segunda-feira o cargo de vogal executivo do Programa Operacional (PO) Norte 2020, a convite do novo presidente da Comissão da Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), António Cunha.

Sucedeu ao antigo secretário de Estado adjunto da Administração Interna Juvenal Silva Peneda, que morreu em 2015.

“Foi com muita uma pena que todos os presidentes de Câmara do distrito receberam a notícia da saída porque todos reconhecemos o seu conhecimento profundo sobre os fundos comunitários e a região. Dedicou-se de alma e coração ao cargo e manteve um relacionamento quase perfeito com todos os presidentes de Câmara. É alguém em que verdadeiramente confiávamos”, afirmou Victor Mendes.

Para Victor Mendes, a saída do primeiro secretário executivo da associação representa “uma perda” para a região.

“Esperamos que o território seja compensado com as suas novas funções que irá exercer no âmbito da CCDR-N, nomeadamente na gestão dos fundos comunitários e que seja bom para a região”, sustentou.

Para Victor Mendes o cargo até agora desempenhado por Júlio Pereira é “muito importante” por “dar corpo à estratégia delineada pelos presidentes de Câmara”.

“Tem de ser alguém aglutinador das várias propostas, sensibilidades, atendendo às características, especificidades e objetivos de cada concelho para que o território tenha uma estratégia única e sustentável”, apontou.

A CIM do Alto Minho foi constituída em outubro de 2008 e engloba os municípios que correspondem à Unidade Territorial Estatística de Nível (NUT) III do Minho-Lima.

Integram a associação os concelhos de Arcos de Valdevez (PSD), Caminha (PS), Paredes de Coura (PS), Ponte de Lima (CDS-PP), Valença (PSD), Viana do Castelo (PS), Vila Nova de Cerveira (Movimento independente PenCe – Pensar Cerveira), Ponte da Barca (PSD), Monção (PSD) e Melgaço (PS).

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts