FECHAR
Logo
Capa
A TOCAR Nome da música AUTOR
Pedro Xavier 30 Dez 2020

Comunidade Intermunicipal do Alto Minho com orçamento de 7,2 ME para 2021

A Assembleia da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho, que agrega os dez concelhos do distrito de Viana do Castelo, aprovou por unanimidade o orçamento para 2021 no valor de 7,2 milhões de euros.

Acessibilidade

Ouvir
Aumentar Texto Diminuir Texto
Contraste Contraste

Em comunicado, a CIM do Alto Minho explicou que aquele valor representa “um decréscimo de 13% em relação ao ano em curso e reflete, no essencial, a evolução para a fase final de execução em que se encontram diversos projetos com cofinanciamento comunitário aprovados no âmbito do Portugal 2020 e dos programas de cooperação territorial”.

Segundo aquela associação, o orçamento para o ano de 2021, aprovado no dia 22, em reunião da Assembleia Intermunicipal da CIM Alto Minho realizada em Monção, é “o terceiro maior de sempre”.

A CIM do Alto Minho foi constituída em outubro de 2008 e engloba os municípios que correspondem à Unidade Territorial Estatística de Nível (NUT) III do Minho-Lima.

Integram a associação os concelhos de Arcos de Valdevez (PSD), Caminha (PS), Paredes de Coura (PS), Ponte de Lima (CDS-PP), Valença (PSD), Viana do Castelo (PS), Vila Nova de Cerveira (Movimento independente PenCe – Pensar Cerveira), Ponte da Barca (PSD), Monção (PSD) e Melgaço (PS).

“Num cenário marcado pelo elevado risco e incerteza, decorrente, desde logo, da evolução da pandemia de covid-19, um evento improvável de rara magnitude com consequências não apenas de saúde pública, mas também na economia, na sociedade, no ambiente e nas instituições, o principal desafio da CIM Alto Minho para 2021 será recuperar no presente, preparar o futuro, dando prioridade a tudo o que é essencial para prosseguir os principais objetivos da estratégia de desenvolvimento territorial Alto Minho 2030”, refere a associação.

A CIM Alto Minho acrescenta que, “no presente” o objetivo é “contribuir para a aceleração significativa do investimento de proximidade, atento o seu elevado efeito multiplicador no produto, no rendimento e no emprego, avançando assim de forma decisiva na execução dos principais programas de ação, iniciativas e projetos enquadrados no Portugal 2020”.

“O ano de 2021 será, igualmente, fundamental para preparar o futuro, envolvendo quer a programação final do Plano de Ação da Estratégia Integrada de Desenvolvimento Territorial Alto Minho 2030, em estreita parceria com os principais atores locais, regionais e nacionais”, adianta.

Aquela estrutura aponta ainda “a montagem técnica, financeira e institucional das principais iniciativas territoriais a enquadrar no Plano de Recuperação e Resiliência 2021/2026, no acordo de parceria 2021/2027, nos mecanismos de financiamento das políticas agrícolas, do mar e da cooperação territorial, ou nos instrumentos de gestão direta da Comissão Europeia”.

Comentários

Últimas notícias

mais notícias

Últimos podcasts

mais podcasts